Homens com “H”, Mulheres com “M”.

SearchEstou numa fase de avaliar tudo. Não para ninguém, mas para mim mesma. Sinto muita falta dos Homens com “H” que conheci na minha vida. Vcs podem perguntar, o que seria Homem com “H” e eu respondo… Aquele outro ser que vivia no mundo junto com as mulheres e que está em extinção. Hoje em dia, todos e tudo contribuem para que o “H” suma ou se esconda. Ser Heterosexual hoje em dia, para muitos é quase uma aberração. Todos têm que concordar em se sentir frágil, gostar de tricô, pintar a unha e o rosto em comerciais na mídia, e só para dizerem que são Homens que não têm preconceito. Por favor me expliquem, porque temos de aceitar TUDO como se fosse natural? Eu sinto falta sim dos Homens que aprendi a conhecer ao longo da minha vida, e quer saber? Falam tanto em RESPEITAR as DIFERENÇAS, mas querem colocá-los como se eles não tivessem mais o lugar deles. Conheci muitos Homens sensíveis na vida, e eles nunca precisaram gostar de unha pintada nem de maquiagem para se sentirem mais sensíveis. Realmente os valores, os conceitos, estão cada vez mais distorcidos e sugeridos por pessoas que “FINGEM” gostar e aceitar as diferenças, mas que não é verdade. No fundo querem uma sociedade pasteurizada, igual, com todos agindo, pensando e desejando as mesmas coisas, e “AS DIFERENÇAS” tão pregadas hoje em dia, são desrespeitadas quando não fazem parte do todo pasteurizado. Tenho muitos amigos e conhecidos Gays, que são mais homens do que muitos outros Homens que conheço. Nossas intimidades não precisam ser expostas num cartaz no pescoço, para sermos quem queremos ser. Basta que saibamos que somos diferentes sim, e que isto é o bom da vida. Outra palavra que me irrita muito é “Empoderada”. Eu nunca precisei de moda nem de palavra nenhuma para me sentir uma Mulher Forte. Se algumas pessoas, Homens, Mulheres ou qualquer outro sexo que a moda queira inventar precisam de classificação para se encaixarem no mundo, aí sim, o problema é mais sério, e nada como uma boa terapia para “Conhecer-se a si mesmo”. Vamos realmente sermos quem somos, e não queiram excluir os Homens com “H”, as Mulheres que só querem sem Mulheres, e quem quiser mudar de sexo, ou criar outro, faça, mas não critiquem quem gostar de ser quem é, mesmo que não esteja “Na MODA”!